Pula boi pula cavalo ao redor de Arequipa

⦾≈  For us, the best thing about travelling is getting to know the local people. Always. Of course it’s great that in the middle of the immersion there’s the bonus track of knowing people from every part of the world, but the locals are always the ones who show you how the music is played and teach you how to dance.

So we went with our friend Ayme, here from Arequipa, to explore the countryside of the town. We went to La Mansión del Fundador (at the Hunter district), a big colonial house built in the begging of the Spanish occupation by the founder of Arequipa, Don Garcí Manuel de Carbajal. Then, we visited the Molino de Sabandía, a charming mill made of ashlar dated by 1621, in a farm full of animals. We also got to know the district of Yumina, where it is possible to appreciate the view of Misti Volcano and the inca agriculture system, the andenerias.


A melhor coisa da viagem, para nosotros, é estar com pessoas locais. Sempre. Isso é a essência de se estar aqui, ali e lá. É o perfume da coisa toda. A canção principal. Claro, é delicioso que em meio a imersão há as faixas bônus de conhecer gente de toda parte. Mas, são mesmo os nativos que nos ensinam como é que se dança o baile. 

Por isso ficamos bem felizes quando a Ayme (a conhecemos no Natal via amigos de Lima) nos enviou uma mensagem dizendo que nos levaria para conhecer os arredores de Arequipa, especificamente as zonas rurais. Assim, seguimos com ela, sua irmã Pamela e o cunhado Andrés, para três direções distintas. Primeiro para o distrito de Hunter, conhecer La Mansión del Fundador, depois para Sabandía, para visitar o antigo molino, e em seguida para o pueblo de Yumina, ver os vastos campos em andeneria (sistema de agricultura inca).

La Mansión del Fundador é um casarão colonial erguido no início da ocupação espanhola no país. A edificação foi assinada pelo fundador de Arequipa, Don Garcí Manuel de Carbajal. Dizem que ele construiu a mansão ali, longe de Arequipa, para criar escondido seu filho Martín, nascido com síndrome de down, de uma relação com uma mestiça. Hoje, o local é cuidado por arquitetos que mantém lá todos os móveis originais da casa e da capela anexa, apenas para visitas e eventos.

Sabandía é um pueblito muito fofo. Mantém a característica arquitetônica da região ao exibir construções em pedras de silhar, mas conserva uma tranquilidade mais aguda da existente em Arequipa. É lá que fica o Molino de Sabandía, uma construção charmosa numa fazenda – cheia de animais – em meio a um vale verde. Foi construído em 1621 e servia para elaborar farinhas e cereais. Funciona até hoje, por um sistema de manancial, mas apenas para visitantes verem.

Yumina é um lugar lindo para apreciar a vista ampla do vulcão Misti junto às andenerias, esse sistema de  agricultura de origem inca, em que as plantações são distribuídas em formas de “escadas”. Lá é gostoso caminhar pelo campo, ver os olhares tímidos dos trabalhadores e ver os gordos e imensos touros das  peleas de toros  levados pelo povoado. Enfim, ver coisas dessas, meio escondidas, que só gente local te conta e canta no pé d’ouvido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s