Arequipa: la ciudad blanca do barroco andino

⦾≈ Arequipa is located between the mountains and volcanoes of the Peruvian Andean desert. It is known as “white city” because it was built almost entirely in ashlar, a volcanic white stone. This gives charm and a romantic vibe to the city of Mario Vargas Llosa. Many people come here for the architecture. It has large houses, colonial traits, syncretism in religious buildings and the beauty of the Andean Baroque. All of it is concentrated in the historic part of the town. Indeed, it is in and around this region all you need to see: Plaza de Armas, Monasterio de Santa Catalina, Casa Museo Vargas Llosa, Museum of Andean Sanctuaries, Casa del Moral, the Cathedral and the other churches, the Yanahuara district (where there’s a nice viewpoint under the same name) and the streets of the San Lazaro district.


Nossa, já estamos em Arequipa há dez dias! Deixamos Lima na madrugada natalina e viemos para cá exercer nosso trabalho na nova morada, o Hostel Arequipay – onde vamos fazer um vídeo e alguns materiais gráficos. Bom, mas o que dizer dessa cidade, a segunda maior do Peru?

Arequipa está localizada entre montanhas e vulcões do deserto andino peruano. É conhecida como la ciudad blanca porque foi construída quase toda em silhar, uma classe de pedra vulcânica de cor branca. Isso dá charme e um ar romântico à cidade de Mario Vargas Llosa, que também é famosa pela gastronomia.

Muita gente vem para Arequipa exatamente pela arquitetura. Tem os grossos muros das pedras do vulcão, as casonas, os traços coloniais, os tambos (mini vilas dentro de um bairro), o sincretismo nas construções religiosas e as belezas do barroco andino (ou arquitectura mestiza, em que se aplica símbolos da cultura andina em estruturas européias).  Tudo isso concentrado na parte histórica da cidade.

Aliás, é nessa região (Centro Histórico e bairros antigos) que está praticamente tudo o que é preciso ver: Plaza de Armas, Monasterio de Santa Catalina, Catedral, Casa Museo Vargas Llosa, Museo Santuarios Andinos, Casa del Moral, Igrejas, o bairro e mirador de Yanahuara, e as ruas do bairro San Lazaro. 

Processed with VSCOcam with hb2 preset

De fato muitos desses lugares nós não visitamos. O Monasterio de Santa Catalina, por exemplo, custa 40 soles para entrar. Como nos recusamos a dar dinheiro para a igreja e adjacentes, deixamos para lá. Vimos só um pedacinho por fora, mas sabemos que é lindo.

Por outro lado, visitamos alguns que são pura decepções, devido ao preço e instalação precária, como o Museo Santuarios Andinos.  Na verdade, se você planeja vir ao Peru, saiba desde já que aqui as entradas de museus são extremamente caras. 

O Valle del Colca é outro ponto que atrai as pessoas para cá. É um cânion  de 4.150 metros, onde habitam as ricas culturas collagua e cabana. Fica a aproximadamente cinco horas de Arequipa. Tínhamos muita vontade de ir, mas só a entrada custa 70 soles. Muito caro se comparado ao fodástico Parque Huascarán, que nos custou 10 soles o ingresso.

Assim, seguimos aqui, aproveitando esses dias de longa estadia para trabalhar, buscar freelas no Brasil e fazer contatos pelo hostel, onde já criamos um vínculo de amizade com algumas pessoas.

 

Anúncios

5 comentários sobre “Arequipa: la ciudad blanca do barroco andino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s